Poesia - Soneto


QUE CALOR É ESSE?

Salpicada por toda a pele
Gotículas denotam a carência
Água, sombra e tudo que congele
Refrescar a pele dessa louca ardência

Querências de tudo o que se faz ser água
Mar, piscina de água fria na pele refrigera
Estar debaixo de cachoeiras, suor deságua
Oh, mas que calor é esse que na terra impera?

Quem me dera, ter um lago gelado aqui e agora
Tocar em tudo que refrigera, neve e geada, quem dera!
Com um calor igual a esse, melhor mesmo é rezar

Rezar todos os terços pedir reforço sem demora
Pedir aos santos a grande chuva mas sem ser severa
Que é para refrescar esse poeta que só vive a reclamar.

Simone Medeiros
25/09/2015
Ilustração: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!

Postagens populares

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...